Perfil do egresso

O PPG-MADER tem como meta principal a estruturação das condições pedagógicas e acadêmicas ideais para formar profissionais com perfil interdisciplinar, preparados para atuar no cerne dos problemas e conflitos socioambientais presentes no campo brasileiro. O Programa desenvolve suas atividades de modo formar competências para a pesquisa e a construção do conhecimento técnico e científico; para a docência; para a formulação, implementação e avaliação de políticas públicas; para o trabalho em projetos de desenvolvimento em parceria com atores e comunidades rurais; e para a gestão de processos educativos em meio ambiente e desenvolvimento rural, em especial a educação do campo.

O Mestrado em Meio Ambiente e Desenvolvimento Rural, enquanto área de conhecimento e intervenção social, atua na preparação para o trabalho formativo e organizativo com grupos sociais do campo (assentamentos, reservas extrativistas, comunidades tradicionais, entre outros), para a implementação de iniciativas e projetos de desenvolvimento comunitário sustentável, com especial ênfase na participação das comunidades e na valorização da sociobiodiversidade.

Em consonância com os objetivos presentes tanto na origem quanto na proposta de reestruturação do PPG-MADER, os egressos do Mestrado devem ser referências em excelência acadêmica e profissional, assim como em competência técnica e política na área de concentração em Meio Ambiente e Desenvolvimento Rural. Em termos específicos, devem ser:

  • Competentes na precisa identificação e análise dos problemas que afetam o campo e suas populações, assim como dos impactos socioambientais promovidos pelos modelos de desenvolvimento rural.
  • Conhecedores dos marcos institucionais e jurídicos, expressos na legislação e nas políticas públicas e respectivos programas governamentais, de forma a promover, com senso crítico e propositivo, as necessárias interações entre Estado, Sociedade e Mercado para uma gestão ambiental e territorial compartilhada e coresponsável.
  • Capazes de elaborar diagnósticos socioambientais, diretrizes técnicas e científicas, e recomendações para subsidiar a formulação, implementação e avaliação de políticas públicas e programas governamentais, com foco em modelos de gestão e de desenvolvimento rural voltados para a promoção da sustentabilidade e bem estar social; da conservação, uso sustentável de produtos e serviços da sociobiodiversidade.
  • Capazes de atuar no planejamento ambiental rural; na gestão de conflitos socioambientais; na orientação para o uso sustentável dos recursos da biodiversidade; no monitoramento, fiscalização e mitigação de impactos nos ecossistemas; na recuperação e manejo de ambientes degradados, inclusive com atenção à saúde pública e ambiental.
  • Potencializadores das contribuições dos saberes e práticas dos agricultores familiares, agroextrativistas, quilombolas, dentre outros; estimuladores dos processos educativos do campo e do desenvolvimento socioprodutivo dos territórios como estratégia geradora de renda e de segurança alimentar às populações rurais e de adaptação às mudanças ambientais, socioeconômicas e globais.

[/list]